quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Prazer, Carolina Ribeiro!

Carolina Ribeiro (olho nesta ótima armadora de 1,80m, 17 anos e dona de uma visão de jogo acima da média). Palavras de um dos maiores e melhores comentarista de basquete do nosso país, Fabio Balassiano do UOL, dono do blog bala na cesta, e que já trabalhou nos maiores e mais diversos jornais impressos e sites dedicados a modalidade no Brasil.


Dito isso, fomos atrás da jovem atleta Joseense para conhecer um pouco mais dessa jogadora, que na visão de muitos é considerada uma das promessas do esporte Brasileiro. Figurinha carimbada nas seleções de base, a jovem armadora, fã do Fúlvio, e de uma simpatia sem tamanho, conversou um pouco comigo...


Carol, quando e como você começou a jogar ?
Comecei com 8 anos, na escolinha do SESI, comecei porque meu irmão foi fazer um teste, fui junto para ver como era, acabei ficando e gostando, (no começo também fiz Taekwondo junto), e hoje já são 9 anos de basquete e 6 anos federada.

... Títulos ?
Tri Campeão Brasileira pela Seleção Paulista, Campeão Sul Americana de clubes por São José dos Campos, Medalha de Bronze no Sul Americano pela Seleção Brasileira, Campeã Paulista A2, Campeã Paulista sub17...

Você tem sido presença constante nas seleções Brasileira de base, lembra da primeira convocação, como foi ?
Eu já tinha sido convocada 2 vezes para a seleção Paulista, mas nunca tinha tido a oportunidade de fazer  parte do grupo da seleção Brasileira, lembro como se fosse hoje, meu treinador Elvis me trouxe em casa e disse que eu podia arrumar as malas que eu tinha sido convocada para a segunda fase de treinamentos com a seleção Brasileira, em Santos. Fiquei muito emocionada com a noticia, e graças a Deus fui e consegui ficar entre as 12 que foram para o Sul Americano na Colômbia (o Brasil conquistou a medalha de Bronze), foi uma experiencia incrível, e vou fazer de tudo pra que ela se repita mais vezes.

Como foi trabalhar com a Janeth ?
Eu gostei muito, no começo senti um pouco de dificuldade, mas logo me adaptei, a Janeth me deu muita liberdade, deixou que eu mostrasse meu jogo, do que eu era capaz, e no campeonato meu deu muita oportunidade! Sou muita grata mesmo.

Em 2016 teremos os Jogos Olímpicos no Brasil, passa pela sua cabeça que você pode estar lá ?
É UM DOS MEUS MAIORES SONHOS! Para mim seria uma honra, poder representar meu país em uma  olimpíada, ainda mais aqui no Brasil, estou me dedicando cada dia, em cada treinamento...devo tudo que conquistei até hoje ao Elvis e ao Carlinhos que me apoiam sempre, e se Deus quiser, vou lutar muito para em 2016 estar lá e realizar um sonho! 


Você faz parte do elenco que adulto, que participa do LBF - Liga Nacional Feminina de Basquete, até onde o time pode chegar na sua opinião ?
Somos um time novo, mais de meninas com muito talento e força de vontade. Estamos muito dedicadas nos treinamentos e estamos somando todas as experiencias de cada uma, tudo de melhor que cada uma tem, acho que podemos dar trabalho para as outras equipes, e sim ganhar vários jogos,  fazer um ótimo campeonato, e surpreender muita gente.


Mudando de assunto, você acompanha o time masculino da cidade ? Tem algum jogador preferido ?
Quando dá assisto sim, e gosto muito do Fúlvio, por jogarmos na mesma posição, muita vezes vendo ele jogar tento aprender o que ele tem de melhor, acho ele um ótimo armador, de muita qualidade, muita técnica, visão de jogo.

Você é muito bonita, já teve que ouvir piadinhas durante os jogos ? Cantadas ?
(essa resposta demorou alguns dias...)

Nunca presto muita atenção na arquibancada, depois do jogo que o pessoal me diz que falaram alguma coisa, mas sim. E obrigada pelo elogio.




quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Valeu Meninas! Campeãs Paulista Sub17

Na noite desta ultima quarta feira, jogando fora de casa, contra a equipe do Divino/COC/Jundiaí  as meninas da categoria SUB 17 do São José Basketball derrotaram as donas da casa pelo placar de 69 x 52  e conquistaram mais um titulo Paulista para a cidade de São José dos Campos.

O titulo vem consolidar o forte trabalho que é desenvolvimento na modalidade em São José dos Campos, que em 2011 já conquistou o Paulista da Segunda Divisão na categoria adulta,  o vice Campeonato Paulista SUB 19, o titulo dos Jogos Regionais e o titulo dos Jogos Abertos do Interior.

Seleção Brasileira: O futuro do basquete feminino em São José dos Campos parece realmente promissor, do elenco Campeão Paulista SUB 17, três jogadoras fazem parte da seleção comandada pela técnica e ex jogadora Janeth Arcain . Carolina Ribeiro (armadora), Vitoria Marcelino (ala/pivô) e Estela Arantes (ala).

Parabéns Meninas!






segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Vitoria da experiência

Jogando em Americana, contra a fortíssima equipe da casa, as meninas do São José Basketball não conseguiram fazer frente a equipe mandante. Com uma equipe formada quase que no seu total por jogadoras da categoria sub 21 as Joseenses sentiram a pressão de enfrentar uma equipe candidata ao titulo e saíram de quadra derrotadas, 91 x 63.

Apenas no primeiro quarto de jogo, quando terminaram perdendo por 7 pontos as Joseenses conseguiram equilibrar o jogo, que a partir daí teve ritmo de treino e o que se viu foi uma equipe de Americana sobrando em quadra.

Destaque para a pivô Clarrisa com 20 pontos. 

Pelo lado Joseense quem se destacou foi a pivô veterana Alessandra e a armadora Taina, com 14 e 13 pontos respectivamente.

"Nosso time é jovem, vai melhorar", disse a ala Patricia ao final do jogo.

As meninas de São José dos Campos voltam a quadra no dia 11 de Janeiro, na distante cidade de São Luis do Maranhão, para enfrentar o time da badala "Iziane", que até pouco tempo atrás defendia o time do Atlanta na Liga de Basquete Americano, a WNBA.


A vez das meninas!


O time de basquete feminino de São José dos Campos enfrenta Americana nesta segunda-feira (19), às 19h, fora de casa, com transmissão pela SoprTV. A partida será a segunda pela Liga de Basquete Feminino, competição em que a equipe joseense estreou com vitória sobre o São Caetano por 75 a 62, no dia 10.

Na classificação geral, o São José ocupa o segundo lugar, uma vez que leva vantagem nos critérios de desempate sobre o adversário Americana, terceiro colocado. As duas equipes fizeram um jogo na competição e possui uma vitória cada uma. Para a partida na noite desta segunda-feira a equipe joseense treinou forte também no final de semana. “Treinamos muito e sabemos que será uma pedreira. Vamos fazer o nosso melhor em quadra”, comentou o técnico joseense Carlinhos.

Na estreia da competição, um dos destaques do time joseense foi a experiente Alessandra Oliveira, que marcou 15 pontos, 16 rebotes, 1 bloqueio e 1 assistência – double-double. Para ela a partida contra Americana será difícil. “Será uma partida disputa. Americana possui um time experiente, com meninas que passaram pela seleção brasileira, sem falar nas estrangeiras. Vamos tentar fazer um jogo de igual para igual, buscando minimizar os nossos erros, além de aplicar uma marcação forte e valorizar a posse de bola. Se conseguirmos controlar tudo isso, podemos fazer um jogo equilibrado”, analisou a pivô Alessandra, que defendeu Americana em 1996.

A estreia joseense em casa será no dia 14 de janeiro contra Blumenau, às 18h, no Ginásio ADC GM. 

sábado, 17 de dezembro de 2011

Com chave de ouro!

O São José Basketball encerrou o ano de 2011 com uma vitória muito importante neste sábado. Jogando fora de casa, os joseenses superaram o Vivo/Franca, por 87 a 76, e chegou a seu sexto resultado positivo em nove jogos (66,6% de aproveitamento) no NBB.
Entrando de vez na briga pelas quatro primeiras posições.

Os estrangeiros do São José foram os principais destaques do jogo. O ala americano Andre Laws anotou 17 pontos, mesma pontuação do ala espanhol Álvaro Calvo, que também contribuiu com 10 rebotes, um duplo-duplo. Mas, o cestinha da partida foi o ala do Franca, Eddie Basden, que marcou 18 pontos.

"A gente veio para cá focado na vitória. Hoje, qualquer vitória ou derrota pode mudar o campeonato. Deixamos escapar a vitória em Uberlândia, onde poderíamos ter vencido. Agora, encontramos Franca, que vinha num momento bom, jogamos bem e chegamos à vitória " disse o pivô Murilo, do São José.

O NBB da uma pausa agora para as festas de final de ano, o São José Basketball volta a quadra no dia 5 de Janeiro contra Araraquara, em São José dos Campos.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Clássico com TV!...para fechar o ano

No ultimo jogo de 2011 o São José Basketball entra amanha em quadra para enfrentar o time do Franca Basquete, fora de casa o time Joseense vai medir forças com a tradicional equipe Francana, que apesar de ser um time perigoso, não começou bem o campeonato.

Enquanto os Joseenses ocupam a 6° posição e brigam para ficar entre os quatro primeiros, a equipe do Franca Basquete aparece apenas na 11° posição, com apenas 3 vitorias.

Depois da amarga derrota para a equipe de Uberlândia, também fora de casa na ultima quinta feira, uma vitoria contra os Francanos seria maravilhoso, afinal de contas, colocaria a equipe Joseense de volta na briga pelas 4 primeiras posições na classificação.


Nos últimos encontros, cada equipe levou a melhor uma vez. Nas quartas de final do NBB 2010/2011, Franca eliminou São José ao vencer a série por 3 a 0. Os joseenses deram o troco nas quartas do Campeonato Paulista de 2011 superaram o rival por 3 a 1.


“Queremos terminar o ano bem. Podemos chegar até a quarta colocação, que é o nosso grande objetivo. Esse é um jogo fundamental e uma vitória pode mudar a história do campeonato”, disse o pivô Murilo.


O técnico Joseense repete a atuação do ultimo jogo no Triangulo Mineiro e manda a quadra o quinteto com Fulvio, Laws, Dede, Jeferson e Murilo.


A SPORTV mostra a partida AO VIVO para todo Brasil a partir das 15 horas deste sabado.

São José Basketball leva virada nos últimos minutos e é derrotado por Uberlândia fora de casa

Uberlândia e São José fizeram uma partida muito disputada e equilibrada nesta quinta-feira. A equipe mineira cometeu várias faltas e os paulistas estiveram à frente praticamente o jogo todo. Mas, nos últimos minutos, o Uberlândia venceu por 97 a 94.

O São José de Murilo, cestinha da partida com 29 pontos, saiu de quadra reclamando uma posse de bola.

- A gente contestou a última bola porque a gente acha que deu aro. Mas, fazer o quê. Agora é pensar no próximo jogo contra o Franca - disse o supervisor Francisco Alberto Guiúdice
Rodrigo Carlos, assistente técnico do Uberlândia comentou que a equipe foi para o ataque no final.

- O time cresceu no momento certo. Quem ganhou, mais uma vez, foi o time. Mas eu dedico esta vitória a duas pessoas, Henrique e Dida. Os dois entraram na fogueira e ajudaram a virar o jogo - disse Rodrigo.
Com as duas equipes muito ofensivas o jogo começou corrido e com o Uberlândia à frente. Logo o São José reagiu e virou, 17 a 20. Com uma cesta de três Robert Day empatou para o time da casa, 20 a 20. Faltando dois minutos para terminar o primeiro quarto o São José abriu cinco pontos de vantagem, 20 a 25. As duas equipes marcaram mas, a diferença no placar permaneceu em cinco pontos e o São José venceu por 26 a 31.

No começo do segundo quarto a equipe mineira marcou sete pontos contra dois do São José. O Uberlândia ficou um ponto à frente 34 a 33. Os dois times começaram então uma queda de braços com cestas para os dois lados. Faltando pouco menos de três minutos para o fim deste quarto o São José abriu cinco pontos novamente. O Uberlândia encostou, mas as falhas na defesa do time da casa deixaram livre o ataque do São José que terminou o segundo quarto à frente com 53 a 51.

O terceiro e quarto quartos também foram marcados pela constância do São José e a corrida do Uberlândia para virar o placar. Aos oito minutos do terceiro quarto os paulistas abriram oito pontos de vantagem, a maior diferença até este momento da partida. O Uberlândia tentou uma reação, mas o São José fechou em 72 a 78.

No último quarto a torcida do Uberlândia acordou. A vibração empurrou o time que aos cinco minutos conseguiu ficar cinco pontos à frente pela primeira vez. Depois de uma falta técnica o Uberlândia arremessou e fechou a partida em 97 a 94.
- Sabíamos que o jogo seria apertado, mas conseguimos a vitória - comemorou Cipolini.

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

São José Basketball quebra outro tabú, vence o atual campeão Brasília em casa e encosta na ponta do NBB

A equipe do São José Basketball/Unimed/Vinac quebrou mais um tabu na noite desta terça-feira, ao bater o atual campeão do NBB, a equipe do UniCEUB/BRB/Brasília, em uma partida espetacular contra uma equipe na qual disputava diretamente posição na classificação.

A torcida novamente compareceu em peso ao Ginásio Linneu de Moura, lotando as arquibancadas e passando aquela força para a equipe no aquecimento. A equipe do UniCEUB/BRB/Brasília vinha com o desfalque do ala Alex, ainda se recuperando de lesão e tinha a disposição do técnico José Carlos Vidal apenas 10 jogadores, já a equipe joseense contava com a volta do pivô Paulão, que se recuperou de uma pancada no olho sofrida na partida diante do Tijuca (vitória por 108x91) mas não contava com o ala/pivô Alvaro Calvo.

Ao som de “Águia êô”, os joseenses começaram com força total e com 1m30 de jogo já abriam 6x0 no placar, contando com uma defesa forte e falta de sorte no ataque calango.  Jefferson, se aproveitando de um rebote defensivo, lançou Dedé que de bandeja anotou mais dois pontos para os joseense, levantando o ginásio, que parecia não acreditar na partida que sua equipe realizava, simplesmente anulando os atuais bicampeões do NBB.

A equipe joseense deu uma pequena relaxada na partida e deixou Brasília diminuir a grande diferença que havia sido conquistada, errando arremessos e não conseguindo pegar mais rebotes na defesa, os joseenses ainda mantiveram uma boa vantagem no placar geral, vencendo o quarto por incríveis 13 pontos de diferença: 31x18.

O segundo quarto começou mais morno em comparação ao primeiro, em 2m30 de partida, apenas 7 pontos haviam sido marcado pelas equipes. Um lance que chamou a atenção foi em um ataque de Brasília, sem nenhuma alternativa e marcado por dois jogadores, Bruninho jogou a bola por baixo das pernas de Jefferson e, ao contrário do que muitos esperavam, não houve confusão nenhuma após o lance.

São José continuava com as boas investidas no ataque e Brasília ainda dava trabalho para os joseenses na defesa, tanto que a diferença no placar não aumentou muito e a partida seguiu assim até o fim, com alguns lances para levantar a torcida, como bolas de três de Fúlvio e uma linda cravada de Murilo, com isto, os joseenses venceram também o segundo quarto, agora por 21x13, totalizando 52x31 no placar, incríveis 21 pontos de diferença.

O terceiro quarto já começou um lance que assustou os torcedores joseenses, Guilherme Guivannonni deu a famosa “paulistinha” em Dedé no primeiro ataque, deixando o jogador do São José sentindo muitas dores. No demais, os joseenses mantiveram uma boa vantagem no placar, e contando com um jogo mais morno de ambas as equipes, o placar não se estendeu demais tanto na diferença, quanto na pontuação geral.

O clima esquentou quando Lucas Tisher cometeu uma falta e reclamou demais, envolvendo toda a equipe, inclusive Alex que estava de fora, logo depois, Cipriano empurrou Murilo, demonstrando todo o nervosismo da equip. Se aproveitando disto, São José correu atrás do pequeno prejuízo que havia tido no início do quarto. A equipe do Brasília venceu o terceiro quarto por 18x22, totalizando 70x53.

ÚLTIMO ROUND DE PARTIDA, O NBB SE TRANSFORMOU EM MMA:

O último quarto começou mais pegado, forte e novamente com um lance deixando a torcida joseense aflita, em uma disputa de bola, o armador Fúlvio tomou uma pancada no ombro direito, o ombro que o deixou de fora de algumas partidas no paulista, e caiu no chão sentindo muita dor e saiu da partida. Alguns lances depois, em baixo do garrafão de ataque, Ricardo Fischer tomou uma pancada e bateu a perna esquerda contra a armação que segura a tabela, tendo que sair de quadra carregado tamanha era a dor que sentia.

A equipe da capital federal cresceu em quadra e foi diminuindo a diferença aos poucos e, se aproveitando da ausência dos dois armadores joseenses, a diferença foi diminuída para apenas 12 pontos. Fúlvio voltou na metade do último quarto e a torcida não desistiu de seu time, cantando mais alto e não ficando em silencio em momento algum.

O clima quente na quadra repercutiu nas arquibancadas, a torcida ficou um pouco mais quieta e ansiosa com o fim da partida, em um lance que tirou um “ui” de todos os torcedores, Fúlvio foi praticamente “arremessado” contra as placas de publicidade, caindo de peito no chão. O barulho, de tão alto que foi, fez um grande eco no ginásio. Fúlvio, utilizando de sua malícia e habilidade, corria em quadra fazendo o tempo passar e provocava os jogadores adversários, que respondiam com faltas que proporcionavam lances livres para o armador joseense, fazendo assim a diferença no placar aumentar pouco a pouco.

Os joseenses fizeram a parte deles e seguraram o jogo o máximo possível, a equipe trocava passes longos a fim de fazer o tempo passar e seguravam a bola para sofrer falta, convertendo os lances livres e confirmando a vitória, que veio com uma derrota de 17x25 no último quarto , mas a vitória de 87x78 no placar geral.

Os destaques da partida foram Jefferson com 20 pontos, 7 rebotes, 1 assistência e 1 toco e Fúlvio Chiantia com 16 pontos, 1 rebote e 5 assistências pelo lado joseense, já pelo lado brasiliense, os destaques foram Guilherme Giovannonni com 17 pontos e 6 rebotes e Nezinho com 15 pontos, 1 rebote e 5 assistências.

O próximo compromisso da equipe joseense será contra a equipe do Unitri/Universo Uberlândia, na próxima quinta-feira (15), às 20h no Ginásio do Uberlândia Tênis Clube, na cidade de Uberlândia – MG.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

São José Basketball enfrenta Brasília em busca de vaga direta na classificação do NBB


O bicampeão Uniceub/BRB/Brasília vai em busca de sua quarta vitória consecutiva no NBB e encara o São José Basketball/Unimed/Vinac, nesta terça-feira (13), fora de casa. A partida, que será realizada no Ginásio Lineu de Moura, em São José dos Campos, às 20h, e é um confronto direta na briga por posição na tabela de classificação.

Brasília ocupa, atualmente, a sexta colocação, com cinco vitórias em sete jogos. São José vem logo atrás, em sétimo, com quatro triunfos em seis partidas disputadas.

“São José é uma equipe muito forte e por pouco eles não ganharam do Flamengo, no sábado. Contam com jogadores como Fúlvio e o Murilo, além do Jefferson, do Dedé, que formam uma grande equipe. Temos que entrar focados e impor o nosso ritmo de jogo, mesmo fora de casa”, disse o ala/pivô do Brasília Guilherme Giovannoni.

Depois de iniciar a temporada com duas derrotas nos quatro primeiros jogos, o time da capital federal engrenou três vitórias nos últimos três jogos e subiu na classificação. Antes da parada de final de ano, a equipe tem pela frente três jogos fora de casa, contra São José, Pinheiros e Paulistano.

“Queremos aproveitar esse bom momento, porque temos essa sequência de jogos longe de casa. Temos que conseguir o maior número de vitórias para terminarmos o ano entre os líderes”, declarou Giovannoni.

Já São José vem de uma derrota, em casa, para o líder Flamengo e atravessa uma sequência de jogos contra adversários duros. Além de Brasília, nesta terça, a equipe tem pela frente o Unitri/Universo, no quinta, e o Vivo/Franca, no sábado, ambos fora de casa.

“Nossa equipe está preparada, fizemos um grande jogo contra o Flamengo. Tivemos bons momentos, mas a equipe deles é muito gabaritada e o Marcelinho estava em um dia inspirado. Estamos super focados e precisamos ganhar de um time grande para nos gabaritarmos a ficar entre os quatro primeiros do campeonato, que é o nosso objetivo”, comentou o armador Fúlvio.

domingo, 11 de dezembro de 2011

São José Basketball inicial LBF com o pé direito

A equipe do São José Basketball/Shopping Colinas começou com o pé direito a segunda edição da LBF - Liga de Basquete Feminino - e em grande estilo.

No fim da tarde deste sábado, as joseenses venceram as representantes da equipe do São Caetano/Drummond, mesmo jogando no Ginásio Municipal Armando Silva e Lima Corujeira, na cidade de São Caetano do Sul, no Grande ABC pelo placar de 62x75 (26x38 no primeiro tempo).

As joseenses conseguiram emplacar seu poder ofensivo e manter o ritmo durante toda a partida, conseguindo mandar na partida do início ao fim, vencendo o 1º quarto por 12x20, o 2º quarto por 14x18, o 3º quarto por 13x16 e perdendo apenas o último quarto, por 23x21 mas sem dar chances no placar para suas adversárias.

 Os destaques da partida foram as jogadoras Mônica Nascimento com 14 pontos, 7 rebotes e 1 toco e Carina Jackson com 13 pontos e 2 rebotes pela equipe da casa. Já pelo lado joseense, os estaques foram por conta da estreante Alessandra Oliveira com 15 pontos, 16 rebotes, 1 assistência e 1 toco - double-double - e de Tatiane Nascimento com 15 pontos, 3 rebotes e 2 assistências.

O próximo compromisso da equipe joseense será no dia 19 de dezembro, uma segunda-feira, onde as meninas do São José viajam até o interior para enfrentar a equipe do Americana Basket, às 19h, com transmissão Ao Vivo do canal à cabo SporTV, ótima oportunidade pra acompanhar as meninas!

Parabéns ao técnico Carlinhos e as meninas do elenco joseense por esta primeira vitória em uma competição de âmbito nacional, mesmo sendo estreante na competição e jogando fora de casa, voltam com esta bela vitória na bagagem! #ParabénsGuerreiras

sábado, 10 de dezembro de 2011

São José Basketball joga muito bem mas peca nos detalhes e é derrotado pelo Flamengo em casa

A equipe do São José Basketball/Unimed/Vinac conheceu sua primeira vitória no NBB diante de sua torcida. A equipe do Vale do Paraíba recebeu no Ginásio Linneu de Moura a equipe do CR Flamengo e proporcionou ao fã do basquete uma ótima partida, com direito a lindos tocos, bolas de três e uma partida disputada até os últimos segundos.

A torcida joseense compareceu em peso ao Ginásio Linneu de Moura, faltando pouco menos de 40 minutos para o início da partida, as dependências do ginásio já estavam 90% tomadas. Quando faltavam 25 minutos para o início, a torcida flamenguista chegou ao ginásio e estendeu sua bandeira, acendendo ainda mais os presentes nas arquibancadas joseenses, com vaias e gritos, a pequena torcida flamenguista viu a torcida joseenses levantar o bandeirão, arrancando aplausos e cantos dos demais presentes no exato momento em que a equipe entrou em quadra.

São José contava com o desfalque de Paulão, que sofreu uma pequena lesão no olho no último jogo contra o Tijuca (vitória por 108x91), com isto, foi a quadra com Andre Laws, Chico, Dedé, Fúlvio e Murilo, já os flamenguistas foram a quadra com
 Marcelinho, Hélio, Caio Torres, Kammerichs e Jackson.

A partida começou acirrada e até a marca dos 6 minutos, o placar mostrava 8x8 quando Laws perdeu uma bola na defesa e Marcelinho deu linda cravada, abrindo 8x13, na resposta, Fúlvio enfiou linda bola de três levantando o ginásio.

Os cariocas começaram a tomar conta da partida e na metade do quarto, venciam por 11x17 e continuaram com as melhores investidas, mas São José, contanto com uma reação no final do primeiro quarto, inclusive com um lindo toco da entrada do garrafão de Alvaro Calvo e depois com uma bola de três de Jefferson, empatando o jogo a segundos do fim para delírio da torcida mas no último lance, Marcelinho conseguiu uma cesta de 2 pontos, colocando o Flamengo na frente: 24x26.

O segundo quarto começou forte e pegado, São José logo empatou e virou o placar à seu favor, mas a força flamenguista recolocou o time carioca novamente à frante, mas sem uma vantagem “confiável”, tanto que a equipe joseense sempre encostava ou empatava o placar. Na metade do quarto, Murilo deu um belo toco pra cima de Kammerichs e completou a jogada com uma assistência para Jefferson colocar os joseenses à frente, 35x33.

Os cariocas mais uma vez começaram a emplacar seu ritmo forte na defesa e acertar mais a mão no ataque, quando a bola não caia, o rebote era rubro-negro, o que fez a diferença começar a aparecer no placar, com isto, vitória flamenguista no quarto por 18x24, totalizando 42x50 no placar geral.

No intervalo, as equipes voltaram mais cedo, principalmente a equipe joseense, que ficou batendo bola e arremessando em quadra, provavelmente tentando melhorar o aproveitamento nos arremessos de quadra.

O terceiro quarto começou com uma linda bola de três flamenguista, abrindo mais ainda a vantagem rubro-negra, o que ascendeu a equipe da casa, que começou a reagir com Fúlvio, Matheus e Dedé implacáveis no ataque, o Murilo imbatível na defesa, pegando todos os rebotes. A vantagem que era de 11 pontos nos primeiros segundos do terceiro quarto, faltando 6m26 para o fim mudou para 1 ponto à favor dos joseenses.

A defesa joseense continuava a funcionar, fazendo, pela terceira vez na partida, o tempo de bola flamenguista estourar sem nem mesmo o time carioca arremessar, porém  um pequeno apagão fez com que as bolas de três rubro-negras, as mais perigosas, começassem a cair e virar a vantagem à favor dos visitantes. Se aproveitando deste mal momento joseense, os cariocas chegaram a perder o terceiro quarto por 29x25, mas no placar geral venciam por 71x75.

O último quarto continuou quente como estava o restante do jogo, Murilo fez questão de levantar mais ainda a torcida joseense com outro belo toco, na sequência, Laws sofreu falta e converteu os dois lances livres, empatando a partida novamente. O clima esquentou mais quando em um lance na lateral, Murilo mostrando garra foi ao chão para pegar a bola e o árbitro “inventou” uma bola presa, na cobrança da marcação, Murilo roubou outra bola mas ela saiu para lateral, segundos depois, Jefferson cometeu falta em Kammerichs, que converteu os dois lances e recolocou o Flamengo na frente.

O jogo continuou pegado mas com pequena vantagem para os visitantes, enquanto São José se perdia um pouco no ataque, Flamengo acertava 90% das bolas arremessadas, abrindo uma boa vantagem no placar. São José bem que tentou, se esforçou demais e proporcionou um final de jogo espetacular, disputando ponto a ponto, mas a eficiência rubro-negra foi mais decisiva para a partida, perdendo o último quarto por 27x26, mas vencendo a partida por 98x101.

Os destaques da partida foram Dedé com 21 pontos e 2 assistências e Jefferson com 18 pontos e 5 rebotes para a equipe joseense. Já pelo lado dos cariocas, Jackson com 27 pontos, 4 rebotes e 3 assistências e Marcelinho Machado com 23 pontos, 3 rebotes e 13 assistências – double-double – foram os destaques da equipe flamenguista.


O próximo compromisso da equipe do São José será na próxima terça-feira (13), diante da equipe do UniCEUB/BRB/Brasilia, também no Ginásio Linneu de Moura, às 20h, com entrada franca para a torcida. Novamente recomenda-se chegar cedo pois a expectativa é de casa cheia.

São José Basketball feminino inicia amanhã a caminhada na LBF

Começa no início da noite deste sábado, às 18h, na cidade de São Caetano do Sul, a caminhada da equipe do São José Basketball/Shopping Colinas na LBF - Liga de Basquete Feminino - competição oficial da Liga Nacional de Basquete para o basquete feminino.

A equipe joseense inicia a caminhada diante da equipe do São Caetano/Unip/Drummond e logo de cara já tem uma sequencia extensa fora de casa. Após a partida no Grande ABC, as joseenses vão para a cidade de Americana, onde enfrenta o Americana Basket dia 19/12 (segunda-feira) às 19h, com transmissão ao vivo do canal à cabo SporTV. Depois disso, as meninas terão uma viagem longa, até a cidade de São Luís - MA, onde enfrenta a equipe do Maranhão Basket, no próximo dia 11/01/2012, às 21h.

A equipe joseense é estreante na competição, ao lado das representantes da equipe do Vasto Verde/Uniasselvi/FMD, da cidade de Blumenau - SC e as meninas do Maranhão Basket, de São Luís - MA. Juntamente com as novatas, as já tradicionais equipes do Santo André/Semasa, Ourinhos Basquete, Americana Basket, Poty/Açúcar Cometa/Unimed/Catanduva BC, São Caetano/Unip/Drummond e Basquete Clube/Araçatuba participam do torneio.


Algumas destaques da Seleção Brasileira Feminina de basquete estão de volta ao país para esta importante competição, caso das pivôs campeãs mundiais de 1994 e medalhistas olímpicas Alessandra, de 37 anos, que defenderá o São José Basketball/Shopping Colinas, e Cíntia Tuiú, que vestirá a camisa do Maranhão Basquete.

A equipe maranhense repatriou, também, a ala/armadora Iziane, vice-campeã da WNBA com o Atlanta Dream. E da liga norte-america chega outro reforço para a equipe do nordeste, que é a ala Crystal Kelly, que atuou pelo San Antonio Silver Stars em 2010.

Da WNBA também chega outra jogadora. É a pivô Sandora Irvin, do Atlanta Dream, contratada pelo time de Americana. A equipe paulista também acertou com a ala colombiana Yanet Arias e repatriou a pivô Kelly, medalha de bronze com o Brasil em Sidney 2000.

Além disso serão mais oito atletas que estiveram com a Seleção Brasileira em 2011. Clarissa e Babi (Americana), Chuca e Sílvia Gustavo (Ourinhos), Palmira e Gilmara (Catanduva), Micaela e Nádia (Santo André).

A competição começa neste sábado, dia 10/12, às 15h, com Americana Basket x Ourinhos Basquete, na cidade de Americana, com transmissão ao vivo do SporTV. Mais tarde, às 18h, além de São Caetano/Unip/Drummond x São José Basketball/Shopping Colinas, aconteceram também a partida entre 
Poty/Açúcar Cometa/Unimed/Catanduva BC x Vasto Verde/Uniasselvi/FMD.

Na segunda-feira, a atual campeã da competição, a equipe do Santo André/Semasa enfrenta a equipe do Poty/Açúcar Cometa/Unimed/Catanduva BC, às 19h em Santo André, também com transmissão do SporTV, um pouco mais tarde, às 20h, tem Vasto Verde/Uniasselvi/FMD x Basquete Clube/Araçatuba em Blumenau - SC. A última equipe a estrear na competição será o Maranhão Basquete, que jogará apenas no dia 5/01, contra a equipe do Americana Basket.

Nós desejamos boa sorte a equipe joseense e que possam seguir os passos da equipe masculina e dar inúmeras alegrias à esta torcida apaixonada pelo basquete! #ForçaMeninas #VâmoSãoJosé

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Basquete feminino estréia na LBF neste sábado

A segunda edição da Liga de Basquete Feminino (LBF) – 2011/2012 será aberta neste sábado (10 de dezembro). O São José vai até São Caetano, onde faz sua primeira partida na história da LBF.


O São José/Colinas Shopping, dirigido pelo técnico Carlos Lima, também aposta em uma base jovem, contando com jogadoras formadas no seu trabalho de base e com alguns reforços mais experientes, como é o caso da pivô Alessandra Oliveira, campeã Mundial com a Seleção Brasileira em 1994 e que atuou por muitos anos fora do Brasil.



Os outros destaques do elenco são: Izabela, Tatiana Nascimento e Patrícia Ribeiro. “Vai ser a estreia dos dois times, no nosso caso é a primeira partida na Liga de Basquete Feminino (LBF) e esperamos começar com o pé-direito, vencendo ao lado da nossa torcida. Estamos em fase de adaptação, com a equipe devendo crescer ao longo da competição, mas esperamos fazer um bom jogo temos que esperar os 40 minutos para saber como foi a nossa produção em quadra”, relata Alessandra.


O São Caetano/Drummond, da técnica Vânia Paulette, aposta em uma base jovem, contando com atletas formadas em suas categorias de base e algumas que se destacaram na disputa do Campeonato Paulista da Série A-2. Destaque para a pivô Eliane, a lateral Júlia e a lateral Sheila.

“São José tem um time um pouco mais experiente, mas a expectativa é de uma partida equilibrada, com as duas equipes entrando em quadra com uma base jovem. O nosso time deve sentir um pouco essa estreia, já que algumas jogadoras irão disputar pela primeira vez esta competição e a meta é atuar sempre com disposição e apresentar um bom basquetebol, fazendo com que estas jovens atletas cresçam e saibam como é disputar uma competição forte como essa”, relata Paulette.

Fonte:[ http://pbf.blogspot.com/ ]

São José Basketball enfrenta Flamengo neste sábado, no encontro das melhores defesas do NBB

A equipe do São José Basketball/Unimed/Vinac recebe, no fim da tarde deste sábado (10), a equipe do CR Flamengo na segunda partida da maratona de três confrontos em casa.

A partida, marcará o encontro entre as duas melhores defesas da competição. O Flamengo, depois da vitória de 65x88 sobre Joinville em Joinville - SC, segue líder da competição, já os joseenses, depois de baterem o Tijuca Tênis Clube por 108x91, subiram para a quarta posição na tabela.

A equipe carioca é dona da segunda melhor defesa da competição, com média de 70,7 pontos sofridos por jogo e a equipe é destaque nos rebotes defensivos, sendo líder no quesito, com 26,3 rebotes por jogo. O líder da equipe é o ala/pivô Kammerichs, com média de 8,3 rebotes por jogo.

“O São José é uma das melhores equipes do torneio e já mostrou isso nas primeiras rodadas. Além do mais, conta com jogadores determinantes e estará jogando em casa, o que é mais um ponto a seu favor. Acho que a cada jogo estamos melhorando, mostrando uma evolução. O time está no caminho certo”, disse o técnico Gonzalo Garcia ao site da LNB.

Já a equipe joseense por outro lado, é dona da melhor defesa do NBB, com média de apenas 69,8 pontos sofridos por jogo, também sendo líder em tocos distribuídos e a quarta equipe que mais recupera bolas, com médias de 4 tocos e 8,8 bolas recuperadas por jogo.

“Se a gente conseguir marcar bem, o nosso ataque também flui melhor, contra qualquer adversário. O Flamengo tem muitas armas no ataque e teremos que nos desdobrar na marcação. Mas, da mesma forma, nós também temos boas opções” disse o pivô Murilo Becker.

As equipes se enfrentam 
às 18h no Ginásio Linneu de Moura, em São José dos Campos, com entrada gratuita para o público. É recomendável chegar cedo, pois a expectativa é de casa cheia para este confronto.

São José Basketball bate fácil Tijuca Tênis Clube com placar centenário

Pela primeira vez o time joseense vinha para a quadra no Novo Basquete Brasil com força máxima. A equipe de Régis Marrelli contava com o retorno do ala/pivô Jefferson William que desde as finais do Campeonato Paulista estava no Departamento Médico. 

Jogando seu quinto jogo no nacional, o São José Basketball recebeu os novatos do Tijuca no ginásio Linneu de Moura (Associação Esportiva) na noite desta quinta-feira (8) e bateu os visitantes por 108 a 91 (50 a 36 no primeiro tempo). 

O destaque joseense e da partida foi Jefferson que marcou 22 pontos, seguido de Murilo Becker com 16 tentos. Pelos lados do time carioca, André foi o principal nome com 19 pontos anotados. Foi a quarta vitória da equipe joseense no torneio. 

Agora, uma pedreira na próxima rodada. No sábado (10), novamente na Associação, o adversário será o líder da competição, Flamengo. A partida está marcada para as 18h com entrada gratuita.



[ FONTE: Marcio Rodrigues - Site VNews.com.br ]

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Jefferson William deve volta contra o Tijuca Tênis Clube nesta quinta

O jogador Jefferson William, que desfalcou a equipe do São José Basketball/Unimed/Vinac nas últimas partidas do NBB - Novo Basquete Brasil - estará de volta à quadra na partida desta quinta-feira, diante da equipe do Tijuca Tênis Clube, no Ginásio Linneu de Moura, em São José dos Campos.

O jogador já treina forte juntamente com o restante do grupo e se sente preparado para voltar para as quadras.

Jefferson volta à equipe em um momento importante, já que São José tem uma rodada tripla em casa considerada uma das mais difíceis do campeonato, quando enfrenta o Tijuca Tênis Clube, às 20h desta quinta-feira (8), a equipe do Flamengo no próximo sábado (10) e logo após, a equipe da UniCEUB/BRB/Brasília, na segunda-feira (12).

A equipe joseense está em 6º lugar na competição, com 75% de aproveitamento, conquistando 3 vitórias em 4 jogos disputados, das três equipes que São José irá enfrentar nesta maratona, somente a equipe do Flamengo está à frente do São José na tabela.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Entrevista com Dedé

Depois do sucesso da entrevista com o armador Ricardo Fischer (que você pode conferir novamente aqui), chegou a vez de Dedé.

O ala/armador joseense veio para São José no "pacotão de contratações" para esta temporada para reforçar e levar o São José Basketball/Unimed/Vinac mais longe neste NBB4.

Muito descontraído e atencioso, de chinelos, bermuda e regata, Dedé nos atendeu nas imediações da Associação Esportiva São José, sentados em uma cadeira plástica, no salão do Bar do Jordão ao lado das piscinas após o treino da tarde, o jogador joseense respondeu as perguntas dos torcedores sobre sua carreira, seleção brasileira, seu irmão, suas amizades e mandou aquele recado para a torcida joseense.

Confiram agora, na íntegra, a entrevista de Dedé:

Nome: André Stefanelli Martins
Nascimento: 21/08/1984 em São Paulo - SP (27 anos)
Altura: 1,98 cm
Número na temporada 2011/12:  #8

Blog São José Basketball: Há quanto tempo joga basket profissionalmente:

DEDÉ: Jogo basket desde os 10 anos de idade mas profissionalmente jogo desde 2001, quando fui para Araraquara e desde então estou no basket profissional

SJB: Dentre estes anos, algum dia aconteceu algo que te desmotivou e te deixou com vontade de parar de jogar para sempre? (Pergunta do leitor Fernando)

DEDÉ: Não, nunca tive isso. O basket me motiva todos os dias e a relação que eu tenho entre o basket é incrível! a emoção e o sentimento que ele me trás, por enquanto ainda não achei algo que substituísse isso.

SJB: Você acha que a presença da torcida influência muito nos resultados conquistados fora de casa? (Pergunta do leitor Fernando)

DEDÉ: Sem dúvida nenhuma! Eu joguei no Paulistano que é um clube que não tem muita torcida,que é uma torcida diferente e também joguei em Franca que é um clube com muita tradição, que tem uma torcida e um ginásio muito grande, com um torcedor bastante fanático e agora em São José, que até me surpreendeu bastante a torcida, o quanto gostam e entendem de basket e o que posso dizer é que ajuda demais, quando se joga fora e vê eles chegando nos lugares é um motivo a mais para você jogar mais e se entreter mais e dar seu melhor.

SJB: Qual foi o fator que o influenciou em trocar Franca por São José? (Pergunta da leitora Roberta)

DEDÉ: Os jogadores que a equipe tem são muito meus amigos, caso do Jefferson, Fúlvio, Murilo, Matheus, quando houve esta transição, nós conversamos quase todos os dias até eu acertar aqui e acho que isso ajudou bastante E por eu estar próximo de São Paulo, minha cidade natal e minha família estando bem próxima. Foi uma série de motivos que ajudou e eu estou bastante feliz pela escolha que fiz.

SJB: Você ainda pensa em vestir a camisa da Seleção Brasileira?

DEDÉ: Sem dúvida nenhuma! Foram quase 8 anos servindo a seleção pelas seleções de base todas, o ano que eu fui pra Franca realmente foi o ano que joguei um pouco menos e fiquei mais apagado, tendo pouco tempo de quadra e foi justamente o ano que fiquei fora da seleção. Vim pra São José pra buscar meu espaço, sei que é difícil pois a seleção tem crescido bastante com uma base que fez um trabalho incrível classificando para as Olimpíadas mas quero buscar meu espaço e estou trabalhando para isso pois sei que é o lugar onde eu posso alcançar isso.

SJB: Qual sua opinião sobre os jogadores que se recusam de defender a Seleção Brasileira, como recentemente o caso de Nenê e Leandrinho no Pré-Olímpico? (Pergunta do leitor Fernando)

DEDÉ: O caso do Nenê, eu nunca tive muito contato com ele e acho que ele deve ter seus motivos particulares e prefiro não julgar também por ser atleta, o Leandrinho eu convivi com ele nos últimos dias antes de dizer não à seleção e realmente ele tem um problema crônico no punho que é um problema de anos e o motivo de ter recusado foi esse, eu te falo isso pois ele é um amigo pessoal e tenho certeza que ele disse não por este problema e não por não querer defender a seleção, pois ele quer e muito.

SJB: Você disse uma vez que tinha vontade de jogar na Europa, ainda pensa em jogar fora do Brasil? (Pergunta da leitora Fabiana)

DEDÉ: Meu avô é espanhol e eu gosto muito da Europa e da Espanha como país pra viver, saindo do Brasil, seria um país que gostaria de viver. já me adaptei por lá, fui algumas vezes e gosto muito do povo espanhol, de como é a cultura de lá. Pensava quando era mais novo até pelo mercado que era melhor, pela oportunidade, ter mais visão e o jogo de lá é mais diferente e os jogadores de lá são mais visados pela NBA por ser um campeonato mais forte mas hoje, o Brasil é o melhor pra mim. Sair do Brasil seria apenas pra jogar na ACB e é um pouco difícil por ser um pouco mais velho e por eles procurarem mais os jogadores dos EUA, por serem um dos melhores do mundo. O mercado brasileiro, para chegar lá é um caminho extenso, que foi o caminho que o Huertas fez, começando desde novo em equipes de menos expressão e hoje já joga no Barcelona que um time de expressão mundial. Pra mim eu teria que sair daqui direto pra ACB porque para jogar uma divisão à baixo financeiramente não seria muito bom e por termos de visibilidade, o Brasil tem um campeonato muito bem organizado então não penso em sair, penso em ficar aqui e crescer no Brasil.

SJB: Em sua vinda para SJCampos, como foi sua adaptação na cidade? (Pergunta da leitora Roberta)

DEDÉ: Foi tranquila, eu gosto de cidades grandes, nasci em São Paulo e sou acostumado com a cidade grande, vim de Franca, que é uma cidade um pouco pequena e não tinha tanta liberdade de sair e me senti um pouco incomodado com isso. Aqui em São José é bem tranquilo, a cidade é grande e tem tudo para se fazer aqui, tem um cinema legal, tem bastante restaurantes para jantar que gosto muito e por ser perto de São Paulo, 40 minutos de lá então quando tem um dia de folga eu vou pra casa dos meus pais, pois gosto de ficar bastante com eles lá então a adaptação foi bem tranquila.

SJB: Como é a relação com seus companheiros de equipe, tanto dentro quanto fora de quadra?

DEDÉ: O time deu, como chamamos, uma "liga" muito boa até pelo respeito que temos por todos, na hora de cobrar, sabemos que é para o bem e na hora de elogiar a gente elogia porque conhecemos um ao outro e sabemos que não tem nenhum estrelismo aqui. Amizade é impossível não ter, sempre estamos juntos, saímos pra jantar juntos, vai um na casa do outro e principalmente eu que não sou casado, não tenho namorada nem nada estou mais na casa dos casados se não eu fico muito sozinho aqui, a relação é muito boa com todo mundo, às vezes temos uma brigas dentro de quadra mas nada que supere a amizade que temos.

SJB: O que achou da torcida joseense, quando na estréia do Campeonato Paulista contra a equipe do Jacareí Basketball, na cidade de Jacareí, pouco mais de 200 torcedores foram acompanhar a equipe, principalmente naquele jogo que era sua estréia com a camisa do São José?

DEDÉ: Eu sabia que tinha uma rivalidade muito grande com Jacareí e até falei para meus pais não irem no jogo que poderia ser perigoso e eu esperava que a torcida não fosse, me surpreendeu demais. Foi um jogo que abrimos uma vantagem boa mas depois eles encostaram no placar por ser primeiro jogo do campeonato, a equipe ainda estava fora de ritmo. Não só em Jacareí mas em todos os jogos que a torcida compareceu, principalmente lá em São Paulo na final contra o EC Pinheiros me surpreendeu muito. Quando você vê uma torcida que quer, que está junto e eu em quadra tentando fazer de tudo pra ajudar mas infelizmente não consegui. Se for falar alguma coisa da torcida só tenho à falar coisa boa, na hora de cobrar ela cobra, na hora de aplaudir ela aplaude e o incentivo que eles dão é bem maior que qualquer cobrança e acho que isso vem ajudando muito a equipe, em uma parcela muito grande dos jogos.

SJB: Como foi ficar de fora da final do Campeonato Paulista e ver os jogos do banco? (Pergunta da leitora Fabiana)

DEDÉ: Nos dois primeiros jogos eu tentei jogar mas estava sentindo muita dor e não consegui ajudar. É um pouco frustrante, eu trabalhei o campeonato inteiro pra chegar na hora boa, na hora do "filé-mignon" como todo mundo fala e jogar para dar minha parcela. Eu acho que todo jogador queria jogar uma final, não entra na minha cabeça alguém ficar de fora de uma final porque acho que é muito bom você ver o clima que tem na quadra, eu tava ali pra ajudar da maneira que pude, incentivando, fiz o que pude fazer e a equipe chegou onde pode.

SJB: Você já havia sido vice-campeão paulista com o Paulistano, vice-campeão paulista e brasileiro com o UniAra/Araraquara e com Franca antes de ser vice-campeão com o São José, o que você acha que faltou para conquistar estes títulos depois de chegar bem perto por todas estas vezes?

DEDÉ: Desde 2003, quando foi minha primeira final até esta final de 2011, se passaram 8 anos. Nestes 8 anos eu cheguei à 5 finais, eu acho que alguma competência tem nisto, por estar sempre participando e sendo efetivo no time, somente nos vices com a UniAra que não fui muito efetivo. Eu acho que, quanto mais eu trabalho, mais sorte eu tenho, basquete é detalhe, basquete não tem sorte ou azar, basquete leva quem erra menos e tem mais competência na hora. Infelizmente o time não teve essa competência de chegar e ganhar na final nos times que eu jogava. Sinto que o título está bem perto e eu me sinto muito vitorioso em minha carreira porque se for ver no basquete, tem muitos jogadores que nem se quer do primeiro play-offs passaram e eu já cheguei a 5 finais. Estou ficando calejado já, de tanto bater na trave assim uma hora eu começo a marcar alguns golzinhos.

SJB: Você tem um irmão que também foi jogador, o Rodrigo, e você já jogou com ele, como foi esta experiência? (Pergunta da leitora Fabiana)

DEDÉ: Joguei com ele no Paulistano e hoje ele não joga mais, ele resolveu procurar outra coisa pra vida dele, tem dois filhos e ficou difícil continuar jogando basket mas meu irmão foi meu exemplo de vida, ele é meu exemplo como pai, admiro muito o que ele faz com a família dele, sou fã dele desde moleque, já dei outras declarações falando isso. Jogar com ele junto foi muito gratificante, queria ter jogado mais e gostaria que ele fosse mais efetivo na equipe junto comigo mas infelizmente ele teve que ir pra outro caminho mas fico feliz pelo caminho que ele escolheu e tenho certeza que ele vai se dar bem. As coisas que passei com ele, as experiências quetive de jogar com ele foi coisa que vão marcar pra sempre na minha vida.

SJB: Você tem algum ídolo no basquete? Tanto jogador quanto treinador:

DEDÉ: Aqui no Brasil, técnico sou fã do Rubén Magnano (treinador da Seleção Brasileira), tive a oportunidade de trabalhar com ele coisa de 2 meses e o trabalho que ele fez foi incrível. Aprendi muito em pouco tempo e vi que ele é um cara diferenciado. Jogadores existem muitos que eu admiro o trabalho, tem grandes jogadores no Brasil que eu admiro muito o trabalho mas fã mesmo eu sou fã do meu irmão! (risos)

SJB: Mande um recado para a torcida joseense:

DEDÉ: Eu queria agradecer primeiro tudo que a torcida tem feito que é incrível e dizer que o NBB é um campeonato muito difícil, o basquete no Brasil está muito forte mas continuem assim que vocês são aquela coisa a mais que sempre incentiva naquele momento difícil. Obrigado a todo mundo e obrigado mesmo pra Roberta que é uma fã assim, mais especial que sempre tá falando lá, gritando na quadra e aquilo não atrapalha nada não! Se eu pudesse falar o nome de cada um eu falaria e agradecer a cada um eu agradeceria mas fica ai um abraço especial para cada um de vocês e obrigado pela recepção que estiveram comigo e pelo carinho que vocês tem comigo e com todos da equipe!

O blog São José Basketball, em especial em nome de Felipe Viana e Fabiana Viana agradecem à você Dedé, por disponibilizar alguns minutos de seu tempo para responder nossas perguntas e esclarecer a dúvida de mais alguns torcedores. Desejamos à você e à toda a equipe muito boa sorte neste NBB e que chegaremos longe! #ValeuDedé

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Chico passa pelo Raio-X do blog Território LNB

O ala Chico, da equipe do São José Basketball/Unimed/Vinac, foi o destaque da seção "Raio-X" do blog Território LNB, blog interligado à Liga Nacional de Basquete.

A matéria, postada no último dia 30 de novembro, já foi visualizada e comentada por muitos fãs do basket, e muitos joseenses.

Há os que acham os números do jogador no NBB baixos, outros acham espetáculares, mas para quem ainda não viu, nós trazemos até vocês o raio-x de Chico! Confiram:


Nome: Francisco Tardivo Delben
Posição: Ala/Pivô
Pode jogar: Posições 4, 5 e 3
Idade: 28 anos
Nascimento: 29/06/1983
Naturalidade: São Carlos (SP)
Altura: 2,02 m
Primeira Equipe: Ribeirão Preto (SP)
Equipe Atual: São José Basketball (SP)
Outras Equipes: Assis (SP) e Araraquara (SP)
Equipes no NBB: Araraquara (2009), (2009/2010) e (2010/2011) - São José Basketball (2011/2012)

Números no NBB
Jogos de Playoffs: 7 (1V e 6D)
Total de Jogos: 92
Vitórias: 30
Derrotas: 62
Minutos em quadra: 2382 - 25,89 por jogo
Pontos: 770 - 8,37 por jogo
Rebotes Defensivos: 329 - 3,58 por jogo
Rebotes Ofensivos: 119 - 1,29 por jogo
Total de Rebotes: 448 - 4,87 por jogo
Assistências: 148 - 1,61 por jogo
Recuperações de Bola: 113 - 1,23 por jogo
Tocos: 73 - 0,79 por jogo
Erros: 115 - 1,25 por jogo

Aproveitamento de Arremessos no NBB
Lances Livres: 70,00% (2009) - 64,71% (2009/2010) - 64,00% (2010/2011) - 33,33% (2011/2012)
2 Pontos: 48,60% (2009) - 54,17% (2009/2010) - 52,22% (2010/2011) - 50,00% (2011/2012)
3 Pontos: 38,20% (2009) - 34,74% (2009/2010) - 36,63% (2010/2011) - 38,10% (2011/2012)
Atualmente joga com a camisa: 7
Colocações no NBB: 12º lugar em 2009 - 10º lugar em 2009/2010 - 11º lugar em 2010/2011

sábado, 3 de dezembro de 2011

São José Basketball perde para Divino/COC/Jundiaí e é Vice-Campeã Paulista Sub-19

Na noite do último dia 30, a equipe do São José Basketball/Atleta Cidadão/Heatcraft perdeu a terceira partida para a equipe do Divino/COC/Jundiaí e ficou com o vice-campeonato do Campeonato Paulista Sub-19.

Depois de deixar a equipe do Santo André/SEMASA para trás, a equipe joseense venceu a primeira partida da final, em casa por 74x63, mas foi derrotada, no Ginásio do Colégio Salvador, na cidade de Jundiaí, na noite da sexta, dia 25, pelo placar de 82x70.

Na última e decisiva partida, também na cidade de Jundiaí, na noite da última quarta-feira (30), as joseenses foram derrotadas pelo placar de 93x62 (50x30 no 1º tempo), fechando a série final em 2x1 e levando o tetracampeonato para a cidade de Jundiaí.

Contando com ótimas atuações do trio Emily, Mariana e Izabela, a equipe do Divino/COC praticamente definiu a vitória no segundo período, quando abriu 22 pontos (42 a 20), graças a uma forte defesa pressão e saída em contra-ataque. No terceiro período, já com a manutenção da vantagem, a equipe dirigida pelo competente técnico Luiz Cláudio Tarallo, que também comanda seleções de base da Confederação Brasileira de Basketball, soube administrar o resultado até chegar à vitória. "É uma equipe ainda Sub-18 que pode buscar no ano que vem o quinto título seguido. Será a base também que irá disputar os Jogos Escolares em Curitiba", afirmou Tarallo.

A lateral Mariana Lambert, uma das cestinhas da equipe foi a que mais comemorou. Afinal de contas era a única da equipe que participou das quatro conquistas. Vibrou muito, muito também em função da provocação das adversárias. "Para mim foi muito importante a conquista do título. É meu último ano na base, agora vou jogar no adulto e queria encerrar o ano campeã". Mariana também lembrou que o Divino/COC teve dificuldades, principalmente porque muitas jogadoras estiveram com as seleções de base. "No início tivemos problemas de entrosamento porque não haviamos treinado, mas deu tudo certo", concluiu a capitã do tetra.

Para chegar a final, o Divino/COC eliminou a Unimed/Americana, por 2 a 0, com vitórias por 73 a 71, em Americana e 90 a 72, em Jundiaí. Já São José eliminou a tradicional equipe de Santo André/Semasa, ao fazer 78 a 75, em Santo André e 72 a 70, em São José dos Campos.

A equipe de São José, um ótimo resultado. Afinal de contas é o segundo ano disputando a categoria e já chegou a disputar o título. Chegou a vencer o primeiro jogo decisivo em São José dos Campos, por 74 a 63. O Divino/COC venceu o segundo jogo, por 82 a 70. No terceiro jogo decisivo, jogaram e marcaram para o Divino/COC (93), tetracampeão paulista Sub-19: Joyce (10), Emily (21), Mariana (23), Isabela Ramona (27), Freidiana, Natalia, Maria Cláudia (2), Thuanny, Larissa e Daniele. São José (62), vice-campeão paulista: Maila (14), Jessica, Maira (2), Kiara (5), Erika (17), Fabiana, Carolina (5), Mariana (10), Estela (1), Mariana Dias (8), Vitória e Thaisa. Técnico - Carlos Lima.

Vecchi e Cedra - A partida decisiva entre Divino/COC e São José, quarta-feira (30), no Centro Esportivo Romão de Souza, em Jundiaí, foi acompanhado pelo técnico da Seleção Brasileira feminina adulta, Ênio Angelo Vecchi, campeão do Pré-olímpico das Américas, e também por Cristiano Cedra, técnico da Seleção Brasileira Sub-15, campeã sul-americana recentemente em Cuenca, no Equador.

[ FONTE: Blog PBF - Painel do Basquete Feminino - ATUALIZADO POR: Felipe Viana ]

Basquete feminino recebe quatro reforços para a Liga Feminina

Quatro novos reforços chegaram para compor a equipe feminina de basquete de São José dos Campos para a disputa da Liga de Basquete Feminino. A ala/pivô Izabela Moraes de Andrade, a ala Tatiane Pacheco Nascimento, a armadora Tainá Mayara da Paixão e a pivô Leidilania da Silva Ferreira já integram o grupo que recebeu no mês de outubro a chegada da experiente pivô Alessandra Santos de Oliveira.


As novas atletas vêm compor o grupo formado por seis atletas da base, mais as atletas Patrícia, Cristiane e Luana que já integram a equipe desde o início da temporada. O grupo é formado por atletas com média de idade 20 anos e tem como atleta mais experiente, a pivô Alessandra que atuou em quadra com grandes nomes do basquete nacional como Hortência, Janeth e Paula.

“Montamos um grupo basicamente novo para nossa primeira participação da Liga Feminina de Basquete, com atletas novas mais com experiência em seleções e grandes clubes. Nosso objetivo inicial é entrar na competição para adquirir mais experiência para o grupo e quem sabe superar as nossas expectativas”, comentou o técnico da equipe Carlos José Lima que conquistou no início do mês de novembro, o título do Paulista Adulto da Série A2.


Izabela Andrade, ala/pivô de 25 anos, 1,82 de altura representou o Brasil no Pan de Guadalajara. Sua última equipe foi Presidente Venceslau (SP), a atleta também atuou nas equipes de São Bernardo, Ourinhos, São Caetano, Bauru, Catanduva e em Portugal (Europa). Títulos: Campeã da Liga Nacional (Ourinhos – 2006 e 2007), Paulista mini, mirim, infantil e cadete (Bauru), Paulista (Ourinhos - 2006 e 2007), Campeã Sul-americana Juvenil (Bolívia - 2004), Campeã Sul-Americana Cadete (Equador - 2001) e medalha de prata na Copa América (Pré-Mundial Sub-20 -México - 2006).

Tatiane Pacheco Nascimento, ala de 21 anos, tem 1,80m e estava no Divino/COC/Jundiaí (SP). Iniciou sua carreira no Círculo Militar (SP), atuou no CFE Janeth Arcain (SP), Pinheiros (SP) e Americana (SP), além de passar por seleções brasileiras, onde conquistou: o terceiro lugar na Copa América (Pré-Mundial Sub-18), foi campeã em dois Sul-americanos (Venezuela/2005) e (Equador – 2006).


Taina Mayara da Paixão, armadora de 20 anos, estava no Divino/COC/Jundiaí (SP), atuou em Americana, Pinheiros e na equipe de Janeth Arcain e foi integrante das seleções brasileiras Sub-15, 16, 17 e 18.


Leidilânia da Silva Ferreira, pivô de 20 anos, atuava em Catanduva (SP), atuou em seleção Paulista e brasileira onde jogou o Mundial sub-19 no ano de 2009.


Alessandra Santos Oliveira, pivô de 37 anos, estava no Botasspor Adana (Turquía). A atleta tem em seu currículo diversas conquistas e participações, nos maiores torneios esportivos do mundo, com disputa de três jogos olímpicos (2º lugar em Atlanta - EUA – 1996), (3º lugar em Sydney - Austrália – 2000) e (4º lugar em Atenas - Grécia – 2004). A atleta já participou de quatro Mundiais com a conquista do título no ano de 1994 na Austrália, disputou dois Torneios Pré-Olímpicos das Américas, com conquista do ouro em 2003 no México, é tri-campeã da Copa América nos anos de 1993, 1997 e 2009, além de medalha de bronze em 2003 nos Jogos Pan-americanos de Santo Domingo.

Estreia LBF – A equipe joseense estreia na competição no dia 10 de dezembro (sábado), fora de casa, contra a equipe de São Caetano, às 18h. Em casa, a equipe deve estrear apenas na oitava rodada, no dia 14 de janeiro de 2012, no Ginásio da ADC GM contra a equipe de Blumenau (SC).
A equipe de São José dos Campos é mantida pela Prefeitura e terá durante a competição o apoio do Colinas Shopping através da LIF (Lei de Incentivo Fiscal municipal).



sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Em jogo sem muitas emoções, São José Basketball massacra Vila Velha em estreia discreta de Alvaro Calvo

A equipe do São José Basketball/Unimed/Vinac superou, na noite desta quinta-feira, com certa facilidade, a equipe capixaba do Vila Velha Basket/Garoto/BMG, em partida realizada no Ginásio Linneu de Moura, na cidade de São José dos Campos. Com a vitória, os joseenses chegam ai 3º resultado positivo em 4 jogos, já os capixabas sofreram sua 3ª derrota na competição.

A partida foi ameaçada de ter seu início adiado por alguns minutos devido ao apagão que atingiu a cidade de São José dos Campos no início da noite, iniciou no horário correto e à todo vapor! São José e Vila Velha começaram errando muitos arremessos de quadra até a metade do quarto, quando com boas investidas de Dedé e Murilo, os joseenses abriram uma pequena vantagem, vencendo o quarto por 18x9.

Alvaro Calvo, que fez sua estréia com a camisa 19 joseense quando faltavam pouco mais de 1 minuto e 10 segundos para o fim do quarto fez uma partida discreta, no início, perdeu um rebote defensivo mas no lance seguinte infiltrou bem mas sofreu falta na bandeja, convertendo seus primeiros pontos, após o início nervoso, o jogador foi apenas mais um em quadra e apareceu novamente no fim da partida, quando em contra-ataque rápido, Calvo ao tentar uma bandeja levou um lindo toco de seu marcador.

O segundo quarto começou muito ruim para os donos da casa que não acertavam a mão e erravam muito, dando chances para os visitantes que, aos poucos, encostavam no placar até que, na metade do quarto, Fúlvio Chiantia chamou o jogo para si e, com duas bolas da linha de três pontos seguidas e uma bela assistência para Murilo marcar, os joseenses reapareceram novamente no jogo. Na sequência, Fúlvio acumulou 3 faltas e deu lugar a Ricardo Fischer, o "danadinho" entrou para dar novo ânimo a equipe.

Fischer entrou e São José manteve o mesmo ritmo, o jovem armador levara bem sua equipe ao ataque, armando ótimas jogadas na entrada do garrafão. Com o jogo novamente nas mãos, os joseenses venceram o segundo quarto por 18x13, totalizando 36x22 no placar geral.

Já o terceiro quarto teve uma história diferente, se no ataque São José continuava imbatível, na defesa não se podia dizer o mesmo. Os capixabas infiltravam o garrafão com facilidade e anotavam bandejas em quase todas as jogadas de ataque, isso quando as bolas de três não caíam na cesta joseense, mas Fúlvio, de volta a quadra, fazia questão de levantar a torcida joseense e não deixar Vila Velha empatar, com bolas de três, Fúlvio levou São José a apertada vitória no quarto por 29x22, totalizando 65x44.

O último quarto começou e os donos da casa mostraram toda sua força e qualidade. O placar já era de uma vantagem confortável à favor dos joseenses e isto fez com que o jogo ficasse mais "habilidoso". Os jogadores se soltaram em quadra e, como já não tinham a responsabilidade de lutar para trazer a vitória, pois a vantagem já os dava uma certa tranquilidade, os joseenses começaram a mostrar suas habilidades, com jogadas de efeito e dribles, em dois lances, a torcida joseense literalmente saiu do chão, primeiro com uma linda cravada de Murilo Becker e depois de uma bela jogada, um bela enterrada do garoto Jimmy, levantando a torcida. O jogador, na sequência, pediu mais apoio da torcida, que logo respondeu, gritando seu nome e aplaudindo em pé a jovem promessa joseense.

Com a partida garantida, a torcida joseense pedia a entrada de Robinho, outra jovem promessa do banco e foi "presenteada" com a entrada de Robinho e João Paulo, com isto, a equipe que já contava com Ricardo Fischer e Jimmy em quadra, ficou apenas com Paulão de jogador experiente, a molecada joseense fez bonito e em pouco menos de 2 minutos seguraram bem os visitantes e aumentaram a diferença no placar, abrindo 40 pontos de diferença, totalizando 87x47 no placar geral e vencendo o último quarto por incríveis 22x3!

Os destaques da partida foram Murilo Becker com 23 pontos, 6 rebotes, 4 assistências e 3 tocos e Fúlvio Chiantia com 16 pontos, 2 rebotes e 9 assistências pelo lado joseense. Pelo lado capixaba, os destaques foram Matheus Dalla com 10 pontos e 2 rebotes e Bruno também com 10 pontos e 2 rebotes.

Ao fim da partida, Calvo disse que ficou espantado com o calor e a recepção da torcida joseense:
-"Eu nunca havia visto isso, eles não me conhecem e mostram esse enorme carinho, estou muito feliz com isso. Fiquei até um pouco nervoso nos meus primeiro minutos em quadra, mas o importante é que a equipe teve uma bela vitória" disse o ala/pivô, que foi o centro das atenções dos torcedores ao fim da partida.

O São José Basketball volta a quadra agora somente na noite do dia 8, diante da equipe do Tijuca TC, às 20h, novamente no Ginásio Linneu de Moura, a equipe enfrenta forte maratona em casa, já que logo depois enfrenta Flamengo e UniCEUB/BRB/Brasília, também em casa.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

São José Basketbal poderá contar com Álvaro Calvo diante de Vila Velha

A equipe do São José Basketball/Unimed/Vinac tenta se recuperar no NBB diante da equipe do Vila Velha/Garoto/BMG/UVV na noite desta quinta-feira (1º) no Ginásio Linneu de Moura, às 20h em São José dos Campos. Depois de sofrer o primeiro revés na competição, diante na equipe do Itabom/Bauru Basket, na cidade de Bauru, por 84x78, os joseenses vem com tudo pra cima dos capixabas em busca da terceira vitória e reforçado com o ala/pivô espanhol Álvaro Calvo.

O jogador contratado no início de novembro, chegou à cidade no dia 18 e acompanhou o fim dos Jogos Abertos do Interior, onde São José se tornou campeão da competição e já vinha treinando com a equipe joseense desde então, inclusive viajando com o elenco nas partidas do NBB mas não podia jogar, já que aguardava a regularização de sua documentação junto à CBB.

Calvo tem 28 anos e 2,02cm de altura e suas características são os chutes de longa distância, ótima visão de jogo e bons rebotes na partida e a expectativa da diretoria joseense é utilizar as características do espanhol para conseguir os bons resultados em casa e buscar vitórias como visitante para chegar mais longe neste NBB.

Para a partida desta quinta-feira, a ordem é partir pra cima dos visitantes e mandar na partida:
-"- Nós temos que entrar com tudo sem dar chance à equipe de Vila Velha. Eles têm um time jovem, que acabou de ser montado, mas que têm muita qualidade. Vamos estar em casa, com o apoio da torcida e não podemos pensar em perder, pois nossa meta é continuar entre os primeiros colocados na tabela." disse o armador Ricardo Fischer, como relata o site Basketeria.com.br.

Ainda no site Basketeria, há algumas marcas bem interessantes que podem ser alcançadas nesta partida, para o fã do basquete que adora números e estatísticas, aqui estão elas:

Rei das Assistências: Matheusinho já tem na história do NBB 341 assistências, se o ala-armador joseense der mais 9 passes à cestas, alcança a marca de 350 assistências, em 4 anos, somente 10 jogadores bateram esta meta.

Reboteiro da vez: O ala-pivô Chico, dono da bola na vitória joseense em Sorocaba na partida diante da LSB, tem a marca de 446 rebotes na competição, com apenas mais 4 rebotes chega a incrível marca de 450 rebotes.

O Cestinha: Dedé já tem 786 pontos convertidos em 4 anos de NBB, se converter mais 14 nesta quinta, chega a marca de 800 pontos na competição, ótimo retrospecto.